Home

sergio_moro 1

A aliança, até então inimaginável entre Judiciário/ Legislativo/ Executivo, estancando “a sangria” da Lava/Jato, ganha um aporte decisivo com a polêmica sobre nudez, censura, patrocínios, conteúdos de novela, exposição de museus.

Cai como luva de seda em favor dos malfeitores, dos investigados pela Justiça, dos que transformaram, nestes últimos 15 anos, a corrupção sistêmica na torta diária da elite brasileira.

A Lava/Jato, perseguindo uma Justiça para todos, coisa inédita, sofria bombardeios, mas resistia, agora recebeu o golpe mortal; o STF transfere para o Congresso o julgamento final dos malfeitores sacralizados pelo voto.

É a hora de resgatar Millor, olhando o Congresso; “ele mesmo rouba, ele mesmo investiga, ele mesmo absolve.”

A polêmica da censura, pertinente, mas imprópria no momento, ajuda no enterro da Lava/Jato.

E ele vem sendo feito sem barulho, devolvendo a noite a Aécio Neves, arquivando os crimes de Temer, soltando os Barata, os Nuzman da vida, tendo que ouvir um ministro do STF fazer gracinhas ridículas  sobre escravidão, logo nós que fomos os últimos a revogá-la.

O presidiário Cabral ao peitar o juiz que o condena, seguindo o exemplo de Lula, seu Guia e oráculo, alienando a luta por uma Justiça não seletiva, ao longo de 500 anos de História, faz parte deste deplorável processo.

As ruas estão vazias.

A luta agora é acompanhada pelos smartphones, em torno da polêmica das novelas, censura dos museus, famílias agredidas pela nudez, como se tudo estivesse no melhor dos mundos.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s