Home

Ditadura - 111

Acordou com a sensação de mau hálito. Não, pensou, isso é clichê de narrativa “noir”.

A mulher tinha os olhos cerrados, mas percebera que já acordara.

– Não vou ao bar. Tou de pavio curto.

– Se não for, vão dizer que amarelou. O Lula vai dar a volta por cima. Pior foi com Dirceu. Os FDP lhe tacaram mais 10 anos.

À tarde adentram o Joia, começa a escurecer. Ele recusa beber. Os amigos se olham, nada falam.

– Rogê, todo o mundo falando, e vc de bico fechado.

– Não fode, respondeu irritado.

– Todos vocês tão na moita, desfrutam o dia de ontem. Coxinhas canalhas.

– Que é isso, cumpadre?

– Sabem o penso? Tem que haver golpe militar, sim. Vai nos unir, Lula pede asilo pra Venezuela, Cuba, e vamos denunciar a violência perante o mundo. Dirceu foge, e o golpe voltará a nos unir.

– Que houve, parceiro? Enlouqueceu? Você, um ex-preso político, stalinista, fechando com o Bolsonaro, com a direita, com a reação?

– É que vocês não sabem a noite de horror depois do dia de cão de ontem.

foto – evandro teixeira

 

 

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s